Buscar

Quem achava que era só aqui! China planeja construir porto marítimo/pesqueiro na costa da Austrália


Uma empresa privada chinesa está a planear construir uma nova cidade na ilha de Daru, na Papua Nova Guiné, na fronteira marítima do país com a Austrália, e apenas a cerca de 200 quilómetros do continente australiano.

De acordo com o projeto, analisados pelo site australiano abcnews, “New Daru City” vai incluir uma zona industrial, uma zona comercial e de negócios, uma área residencial, um resort e um porto marítimo/pesqueiro com uma área de 64 quilómetros quadrados.

O projeto multimilionário parece ter sido apresentado ao primeiro-ministro de Papua Nova Guiné, James Marape, pela empresa registada em Hong Kong, WYW Holding Limited, em abril do ano passado.


O CEO da WYW, Terence Mo, disse, numa carta ao primeiro-ministro que o “plano de investimento e desenvolvimento” da sua empresa incluía “ideias abrangentes” para o desenvolvimento de várias áreas na Província Ocidental de Papua Nova Guiné – e que tinha entrado em “discussões preliminares” com representantes dessa região.


Por outro lado, um porta-voz de Marape disse à abc.news que o primeiro-ministro “não sabia” do projeto, mas observou que “se um investidor estrangeiro quiser vir para a Papua Nova Guiné com investimentos multimilionários em quina [moeda corrente no país], a Papua Nova Guiné não irá impedi-los com a condição de que as leis são cumpridas e os habitantes locais de Papua-Nova Guiné beneficiam”.


Daru é uma das poucas ilhas no Estreito de Torres governada por Papua Nova Guiné e não pela Austrália – e esta não é a primeira vez que uma empresa chinesa mostra interesse na área.

No final do ano passado, os líderes comunitários no extremo norte da Austrália levantaram o alarme sobre a segurança da fronteira após a notícia de que uma empresa de pesca chinesa tinha assinado um memorando de entendimento com o governo da Papua Nova Guiné para construir um “parque industrial de pesca multifuncional abrangente” de 204 milhões de dólares em Daru.



Na época, o ex-conselheiro do governo da Papua Nova Guiné, Jeffrey Wall, questionou os motivos da empresa em estabelecer uma infraestrutura de pesca multimilionária numa área desconhecida de stocks comerciais de peixe.

“Devemos estar absolutamente alarmados, não só porque está estrategicamente localizado perto da Austrália, mas há potencial para conflito no Estreito de Torres”, disse Wall. “É a cidade mais próxima da Austrália e fica a apenas alguns quilómetros de algumas das nossas ilhas no Estreito de Torres.

“É uma área porosa e, portanto, estaria aberta ao contrabando de drogas e ao tráfico de pessoas, o que tem acontecido – é um local muito vulnerável”, concluiu.

A proposta para a cidade de Nova Daru parece estar nos seus estágios iniciais e ainda não está claro se o projeto será concretizado.