Buscar

Compra de barco cresce entre os consumidores acima de 40 anos.

Brasileiros entre 40 e 60 anos compraram 50% mais embarcações em 2020, em comparação com 2019. Pesquisa entre clientes das fabricantes também revela preferência por navegação com a família.


Da redação:


“Navegar é preciso, viver não é preciso”, escreveu Fernando Pessoa. O significado de “preciso” no verso é de exatidão, não de necessidade. Navegar é algo certo, enquanto viver é incerto.


A pandemia acelerou a aquisição de um objeto de desejo dos brasileiros: ter seu próprio barco. O comércio cresceu 20% de acordo com a Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e Implementos, enquanto no Estados Unidos o aumento foi de 12% de acordo com a National Marine Manufacturers Association (NMMA).

Embarcações novas, usadas, grandes, médias ou pequenas o mercado esta aquecido.

Somente um fabricante vendeu cerca de 30% a mais em número de embarcações em 2020, comparado com 2019. Um levantamento recente também aponta a prevalência dos consumidores entre 40 e 60 anos, que representam um total de 65% dos compradores, e um crescimento de 50% em vendas para essa faixa etária no ano passado em comparação com o anterior. O mercado percebe como as pessoas estão valorizando cada vez mais a convivência com a família. E o lazer no mar foi a escolha de mais de 80% das pessoas que utilizam embarcações, principalmente aos finais de semana, como um refúgio seguro em meio a natureza.