Sitrapesca pede atenção aos mestres de barcos sobre Coronavirus

forsafelogo.png
logo.png
logo_20sindipi0.png
GC_20020.png

A diretoria do Sitrapesca, através do presidente da instituição, Henrique Pereira, solicita a todos os mestres das embarcações de pesca que informem à tripulação sobre o Conad-19, o Coronavírus. O presidente do Sitrapesca também solicita e orienta que, caso haja algum pescador com sintomas da doença, que o mestre comunique imediatamente a empresa e as autoridades competentes. 

Já decretado como pandemia, o Coronavírus já foi confirmado em mais de 200 pessoas no Brasil. Até o momento o Estado de Santa Catarina contabiliza seis casos confirmados da doença (em Rancho Queimado, Florianópolis, Braço do Norte e Joinville) e outros 102 casos suspeitos que estão sendo monitorados. 

Os principais sintomas da doença são febre, tosse e dificuldade para respirar. De acordo com informações do Ministério da Saúde, a transmissão dos Coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão ou contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Ainda de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, para prevenir a contaminação, é necessário:
•    Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
•    Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
•    Evitar contato próximo com pessoas doentes.
•    Ficar em casa quando estiver doente.
•    Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
•    Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Depois de infectada, a pessoa tende a apresentar os sintomas entre 5 e 12 dias. Para evitar infectar mais pessoas, recomenda-se o isolamento de quem apresenta os sintomas. 

Além de solicitar que os mestres das embarcações orientem a tripulação sobre a doença, os sintomas e as medidas de prevenção, a direção do Sitrapesca também solicita que qualquer sintoma na tripulação seja informado imediatamente.

"Também é necessário que os mestres avaliem a tripulação no momento do embarque, pra evitar que alguém doente seja levado a bordo e contamine seus companheiros", orienta Pereira.

AC2 Produção, Comunicação & Marketing