Buscar

Semana do Pescado 2021 já abre captação com apoio do varejo e food

Com novo comitê organizador, a Semana do Pescado 2021 abriu a fase de captação de patrocínios pela contribuição de cota única de R$ 4.000. Campanha está confirmada para 1º e 15 de setembro


A Câmara Setorial da Produção e Indústria de Pescados ,organizações do setor, da cadeia do varejo e do food service, já se comprometeram com o apoio à campanha (para saber como contribuir, envie um e-mail para contato@semanadopescado.com.br).

O comitê gestor da Semana do Pescado reúne o ex-ministro da aquicultura e pesca, Altemir Gregolin, Jéssica Feller Martinez, do Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), Pedro Pereira, da Brascod e Roberto Imai, da Fiesp. Fazem parte ainda do grupo 16 entidades representativas do segmento.

Eduardo Lobo, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Pescados (Abipesca) e da Câmara Setorial da Produção e Indústria de Pescado do Mapa, ressaltou a sinergia do setor em torno da campanha. "O comitê gestor tem feito um excelente trabalho na arregimentação de todas as entidades. O grande diferencial da articulação deste ano é a descentralização de ações", ressaltou.

A coordenação da Semana do Pescado 2021 já conta com 16 entidades estaduais e internacionais e ao menos 10 empresas atuando em duas pontas: na oferta (setor produtivo) e na venda (quem atua junto ao consumidor final). O objetivo da coordenação é ativar as associações e empresas para que se mobilizem para realizar ações durante a campanha.

Durante o evento, Lobo já confirmou aporte financeiro da Abipesca e suporte de seus associados. "Juntos, temos 148 mil clientes diretos que planejamos atingir com a divulgação da Semana do Pescado", cravou. Outras entidades do próprio segmento, como a Associação dos Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar), também decretaram apoio. "Nós faremos o nosso tradicional Festival do Tambaqui em todo o País no final de semana próximo à Semana do Pescado, contribuindo com a programação da campanha".


Participação do governo

Carlos Eduardo Vilaça, diretor do Departamento de Registro e Monitoramento de Aquicultura e Pesca da Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) e o secretário-adjunto, Jairo Gund, também participaram do encontro. Vilaça comentou que já é histórico no setor vincular o comércio com a legalidade, governança e rastreabilidade. “Que isso traga para a sustentabilidade do segmento. Já está na nossa pauta e foi levantado pelo próprio produtor”, falou.

Eles confirmaram que não haverá aporte por parte da SAP/Mapa por conta de restrições orçamentárias, mas demonstraram apoio à iniciativa. Lobo e Gregolin então pediram a participação efetiva do governo na divulgação da campanha junto às superintendências estaduais do Mapa, espalhadas por todo o País. “Os braços governamentais são muito grandes, então mesmo não contribuindo financeiramente, existem superintendências no Brasil inteiro”, disse Lobo.

Food Service e Varejo dentro

O vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), Marcio Milan, tradicional apoiador da campanha desde que foi criada pelo extinto MPA como Semana do Peixe, confirmou o suporte da entidade à mobilização em 2021. Para ele, o setor ainda precisa melhorar a capacitação e a informação mínima necessária para quem opera o pescado dentro das lojas.

Outro ponto da comunicação, para ele, está relacionado ao consumidor final e a dificuldade de fazer as suas escolhas. “Precisamos melhorar a comunicação do ponto de venda com o consumidor. Temos um grande trabalho entre as indústrias para fazer essa abordagem e melhorar a exposição e comunicação no ponto de venda”.

Conforme ele, é importante que todos os elos da cadeia entendam que estes movimentos têm custo. “Precisamos compartilhar estes custos e buscar esta relação ganha-ganha. Podem contar com a ajuda da Abras para que possamos fazer isso em conjunto”, completou.

Já Vinícius Reis, representante da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), comprometeu-se a levar o evento para o setor de food service. “Vejo com muito bons olhos a organização do evento, já acompanhei no passado outras edições e acho que podemos nos reunir para passar isso adiante”, falou.

Lobo ressaltou a importância de uma adesão mais firme do food service à campanha. "Meu sonho é, um dia, entrar em cada loja de food service no Brasil e ver a marca da campanha nas mesas, no cardápio, como QR Code, de forma digital ou impressa."

Pedro Pereira comentou sobre a experiência de viver os dois momentos da campanha, como varejista e como indústria - Pereira é diretor comercial da Bom Porto. “O primeiro benefício para a cadeia é o aumento das vendas. Quando eu estava no supermercado, eu via crescimentos acima de 20% de vendas neste período, comparado a momentos anteriores. O evento tradicional já está no calendário de marketing da cadeia”, falou.

Segundo ele, um ganho imediato é na promoção do consumo de pescado. “O varejo vive dessas iniciativas para aquecer frequentemente a loja. Uma hora em carnes, depois em frango, depois o peixe. A Semana do Pescado é a nossa data, a terceira data sazonal de consumo de pescado no Brasil”, complementou.

Milan completou com a informação de que a Abras reúne 91.350 lojas participantes da Abras. "São 28 milhões de consumidores diários no supermercado. A semana pode incentivar o consumo e também passar uma imagem melhor do pescado ao consumidor final."