Buscar

Rádio Costeira de Itajaí completa 20 anos

Confira a retrospectiva do serviço que é considerado um dos meios de comunicação mais importante à disposição de pescadores, familiares e empresas de pesca

A Rádio Costeira Municipal de Itajaí, operacionalizada pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), completa 20 anos no dia 17 de maio. A data marca o concessão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de licenças de canais para operação por meio de frequências VHF e SSB.


Agostinho Peruzzo, responsável pela estação, explica que a Rádio Costeira realiza apoio às embarcações e suas tripulações em qualquer adversidade com foco na salvaguarda da vida humana no mar: "Além disso, o serviço é um dos meios de comunicação mais importante que está à disposição de pescadores, familiares e empresas de pesca", aponta. Ele apresenta uma retrospectiva com os principais momentos da rádio desde antes de sua criação. Confira:


1998 A Estação Costeira Itajaí, propriedade da Embratel, instalada em Navegantes, tem suas transmissões locais encerradas, passando a operar remotamente a partir do Rio de Janeiro. A Itajaí Rádio integrava uma rede de estações instaladas em toda a costa brasileira, para atender a frota pesqueira nacional. Ela atendia em Navegantes desde 1986, prestando serviço de previsão do tempo, troca de informações entre familiares e tripulantes em alto-mar, e atendimento de emergências.


1999

Em outubro de 1999, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Pesqueiro do Município de Itajaí (Comuderpe), posiciona-se favorável à criação da Estação Costeira de Itajaí para suprir a lacuna aberta com a desativação dos serviços da Embratel.


2000

Em março, o município de Itajaí firma convenio com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para instalação de uma estação de rádio costeira municipal que atendesse a frota pesqueira;


Em outubro, durante a Festa Portuguesa e do Pescado (Marejada) é apresentada para a comunidade local a Estação Costeira de Itajaí, que atenderia a frota pesqueira em fainas de pesca ao longo do litoral Sudeste-Sul brasileiro. A partir de então, a Diretoria Municipal de Pesca, vinculada à Secretaria de Indústria e Comércio, iniciou as operações da Estação fixa de radiocomunicação Costeira Itajaí, instalada em às margens do Rio Itajaí-Açú.

2001

Em maio a Anatel concede as licenças de operação para a Estação Costeira Municipal de Itajaí, liberando canais para operação nas frequências VHF e SSB;


Em outubro a Univali e a Prefeitura Municipal firmavam um convênio para que o Laboratório de Climatologia e Meteorologia da Instituição desenvolvesse um sistema de previsão de tempo específico para a área marítima. Os boletins de previsão marítima passaram a ser fornecidos à Prefeitura diariamente e, gratuitamente, eram transmitidos pela Estação Costeira Itajaí tornando-se referência para os navegantes em toda costa sul e sudeste do Brasil. Os mesmos boletins passaram a ser veiculados, também, pela Internet.

2002

Logo no início do ano a Estação muda-se para o prédio da antiga rodoviária e passa a ser operada por meio de convênio entre a Prefeitura Municipal e Sindicato das Indústrias de Pesca de Itajaí (Sindipi). Os boletins de previsão marítima da Univali continuaram a ser fornecidos diariamente;

Em meados daquele ano a Estação Costeira é desativada. Todos os equipamentos foram recolhidos e guardados pela Diretoria de Pesca da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio.

2003

As primeiras conversas para a instalação dos equipamentos da Radio Costeira no Campus da Univali, em Itajaí, ocorrem em fevereiro. A iniciativa foi motivada pela parceira estabelecida no ano anterior na geração de boletins de previsão marítima, que tornaram-se um importante serviço aos navegantes, além da comprovada importância da Estação Costeira como serviço público e para a comunicação com estudantes e pesquisadores da Universidade que estavam embarcados ao longo da costa Sudeste e Sul do Brasil. Outra questão de interesse foi o apoio prestado a observadores de bordo em navios de pesca arrendados, cujo programa nacional vinha sendo coordenado pela Univali desde 2000. A instalação da rádio no Campus da Univali ocorreu em agosto daquele ano. A coordenação técnica da Estação Costeira era compartilhada entre o Laboratório de Tecnologia e Extensão Pesqueira e a Diretoria de Pesca do Município, a contratação de serviços especializados para operação dos equipamentos era responsabilidade da Univali, que também dava continuidade na elaboração dos boletins de previsão marítima.


2004

Em fevereiro o alcance das transmissões a partir da Univali começou a ser questionado. A proximidade com o Morro da Cruz poderia interferir na transmissão. Um estudo dos contatos feitos diariamente com a frota entre setembro de 2003 e 21 de janeiro de 2004 mostrou um total de 1.049 interações efetivas com embarcações em alto-mar. Destes, por meio do sinal SSB (longo alcance), 41% eram efetuados com embarcações localizadas ao longo do litoral do Rio Grande do Sul, 35% no de Santa Catarina e 14% de São Paulo;


O estudo evidenciou uma evolução crescente no número de contatos no período considerado (de 30 para 80 contatos por semana), mostrando que o reinício das atividades da Estação Costeira restabelecia, gradualmente, a credibilidade do serviço. Em paralelo, uma campanha de divulgação sobre a reativação da Estação Costeira foi realizada com foco nas embarcações atracadas em Itajaí;

No dia 28 de março a costa Sul Catarinense foi atingida por ventos de até 150 km. Algo nunca antes registrado. O fenômeno ficou conhecido como Furacão Catarina. Tratava-se da evolução de um ciclone extratropical de núcleo-frio em alto mar, surgido no dia 12 março. O Laboratório de Climatologia da Univali monitorava a tempestade desde seu início e repassava os dados aos operadores da Rádio Costeira. Com foco na segurança das vidas humanas e preservação do patrimônio no mar, durante dois dias a operação da radio foi contínua;


Em outubro a Univali e o município firmaram convênio para manutenção das atividades da Estação Costeira Itajaí. Embora não tenha ocorrido o repasse dos recursos financeiros previstos no convênio, a Universidade manteve o serviço em funcionamento considerando a relevância pública.


2005

Com a criação da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Município de Itajaí, foram ressarcidas as despesas referentes às atividades da Estação Costeira acumuladas pela Univali desde outubro de 2004


Em março daquele ano, em nova reunião entre as partes, ficou acordado de que a Univali apresentaria proposta para o estabelecimento de um novo convênio para a manutenção do funcionamento da Estação Costeira Itajaí nas dependências da Universidade;


A Secretaria de Aquicultura e Pesca do município manifesta interesse de que o horário de funcionamento fosse ampliado para 24 horas por dia. Também indica acreditar que a proximidade do Campus da Univali com o Morro da Cruz prejudicava o alcance das transmissões da Rádio;


Em agosto foram encerradas as transmissões da Rádio nas dependências da Univali. A sede é transferida para Rua Sete de Setembro.


2007

SEAP/PR assina convênio para construção de sede da Radio Costeira na Praia do Molhe, em área da Associação dos Funcionários do Porto de Itajaí.


2008

Em setembro, ocorre a inauguração da sede da Radio Costeira, no terreno da Associação dos funcionários do Porto, junto aos molhes. A sede está localizada no mesmo local até hoje.


2009

A operacionalização da Radio Costeira passa a ser responsabilidade do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Pesca de Santa Catarina (Sitrapesca) e do Sindicato dos Pescadores de Santa Catarina (Sindpesca). O serviço é prestado pelos sindicatos até o ano de 2011.


2012

Novo convênio entre a Secretaria de Pesca e Aquicultura do município de Itajaí e a Univali para que a Universidade operacionalize os serviços da Radio Costeira.


2021

Ao completar 20 anos, a instalação de nova sede para a Radio Costeira Municipal de Itajaí é o horizonte.


A estação funciona 24h por dia, sete dias por semana e 365 dias por ano atendendo todas as embarcações na região sudeste/sul, com alcance desde o Chuí ao Espírito Santo emitindo boletins de previsão do tempo e avisos aos navegantes.


Sobre a Rádio Costeira e a Univali

A Rádio Costeira de Itajaí é operacionalizada pela Univali desde 2012, mediante contrato de prestação de serviços firmado entre o Município de Itajaí e a área de prestação de serviços da Escola de Negócios da Universidade.

Ela opera, diariamente, com rádio operadores habilitados e atende nos canais de rádio de longa distância (equipamento SSB, frequências 4129, 4137, 4429) e curta distância (VHF, canal 22), todas licenciadas pela Anatel. Entre seus serviços, está o monitoramento de todas as embarcações presentes na costa Sudeste/Sul do mar brasileiro.

A rádio atende toda a frota pesqueira e é a principal ponte entre as tripulações no mar e o contato em terra, facilitando a logística necessária para o sucesso dos cruzeiros de pesca. A estação monitora o deslocamento diário da frota, registrando sua posição para salvaguarda do patrimônio material e humano presente na fauna de pesca.

A estação também repassa as informações meteorológicas e oceanográficas auxiliares à pesca ao longo da costa Sudeste-Sul brasileira, elaboradas especificamente para esta finalidade no Laboratório de Meteorologia e Climatologia da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia da Univali.