Buscar

Lançado novo sistema nacional de cadastro para pescadores profissionais.

Inseguranças de pescadores com relação ao acesso a internet, já que uma grande maioria não tem este privilégio! A atualização da situação profissional será feita por etapas.


Terça feira dia 29 foi lançado o novo sistema nacional de cadastramento e recadastramento de pescadores profissionais. É o Sistema Informatizado de Registro da Atividade Pesqueira (SisRGP 4.0). Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, um passo importante, para o fortalecimento do trabalho de pescadores artesanais e industriais de todo o país.


Segundo Jorge Seif Jr. secretário de Aquicultura e Pesca, além de ser mais rápido, o sistema é mais seguro, pois permitirá o cruzamento de dados, combatendo fraudes relacionadas, por exemplo, ao seguro defeso.

Como acessar o SisRGP 4.0


O cadastramento no SisRGP 4.0 poderá ser feito pela internet, sem precisar se deslocar até uma superintendência estadual.

Os pescadores podem acessar o novo sistema sem intermédio de associações e entidades do setor. É só acessar o site e criar uma conta no gov.br, optando obrigatoriamente por uma das opções de login: validação facial no aplicativo Meu Gov.Br, Internet Banking ou Certificado digital.

Após o login, o pescador deve acessar o serviço CREATE pescador. O pescador que já tiver conta no gov.br, deve acessar o serviço REAP Pescador Profissional.

Depois da atualização cadastral, o profissional da pesca receberá uma carteira de pescador em formato digital com QR Code.


Este quesito causou vários comentários e inseguranças de pescadores com relação ao acesso a internet, já que uma grande maioria não tem este privilégio, e vão sim, necessitar de apoio das colônias e entidades que os representem, tanto para ter a conexão como para o preenchimento do formulário. A grande maioria de nossos pescadores, e muitas colônias, não tem intimidade com termos como: uma conta no gov.br, opções de login, validação facial, Internet Banking, Certificado digital, serviço CREATE pescador, serviço REAP, formato digital com QR Code. Imagina o nó que isso vai dar.


Bem, a atualização da situação profissional dos pescadores será feita por etapas.


Primeira etapa, ocorrerá de 6 de julho a 31 de agosto para os pescadores que moram no estado de Pernambuco e que tenham Licença de Pescador Profissional na situação de Deferida.


Segunda etapa, ocorrerá dos dias 1º de outubro deste ano a 31 de setembro de 2022 para os trabalhadores de todo o país com Licença de Pescador Profissional na situação Deferida, inclusive aqueles contemplados na primeira etapa e que não tenham feito o recadastramento.


Terceira etapa, ocorrerá a partir de 1º de outubro deste ano até enquanto houver demanda; e será dirigida para o cadastramento em todo o território nacional de pescadores com Licença de Pescador Profissional em situação Cancelada e sem protocolo de requerimento inicial de outra licença. Essa etapa também será dirigida para pescadores sem protocolo, ou seja, pessoas físicas sem vínculo ao Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP) e sem protocolo de requerimento inicial da Licença de Pescador Profissional; e pescadores com Licença de Pescador Profissional em situação Suspensa e sem comprovante de protocolo de entrega de recurso administrativo.


Quarta e última etapa, será de 1º de novembro deste ano até 31 de setembro de 2022; e será destinada, por exemplo, a pessoas físicas com protocolo de requerimento inicial de Licença de Pescador Profissional, devidamente regularizado; e pescador com Licença em situação Suspensa ou Cancelada e com protocolo de requerimento inicial de Licença de Pescador Profissional, obedecidos os prazos de solicitação para novos requerimentos em vigor no ato da suspensão ou do cancelamento.


Rede Pesca Brasil

Também nesta terça-feira (29), o Governo Federal lançou, por meio de decreto, a Rede Pesca Brasil, que intensificará o diálogo entre governos e a sociedade civil envolvida na atividade da pesca.

Segundo o Ministério da Agricultura, essa Rede tem como objetivo restabelecer os antigos colegiados pesqueiros, com inovações para reduzir os custos, trazer maior eficiência e assessorar a Secretaria de Aquicultura e Pesca na tomada de decisões relacionadas à gestão sustentável dos recursos pesqueiros do Brasil. A Rede será formada pelos Comitês Permanentes de Gestão e por um banco de cientistas acadêmicos e pesqueiros.

“A Rede Pesca Brasil, em resumo, é a recriação dos Comitês Permanentes de Gestão, que é uma rede nacional de universidades e institutos de pesca e professores que auxiliam na criação de políticas nacionais de pesca”, explicou o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.