Buscar

Do peixe ao garfo: a tecnologia que reformula a indústria de processamento de peixes da Europa

Nos últimos vinte anos, as fábricas de processamento de peixes tiveram que lidar com uma mudança crescente em direção a espécies menores de peixes. O maquinário obsoleto não pode mais atender às demandas atuais e, com a pandemia global em andamento, as linhas de produção manual estão sobrecarregadas como nunca antes.


AVANÇOS NA TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO

Na Europa, os trabalhos de processamento de pescado que antes eram realizados manualmente estão cada vez mais sendo realizados por máquinas. Os avanços na tecnologia significam que não só as tarefas básicas, como a remoção de incrustações, são feitas por máquina, mas também processos altamente sensíveis como filetagem, corte e porcionamento, ajudando a indústria pesqueira europeia a se manter competitiva no mercado global.


QUALIDADE CONSISTENTE, COM CUSTOS REDUZIDOS

Para o olho destreinado, a equipe de uma planta de processamento de pescado parece estar realizando um trabalho semelhante ao típico trabalhador da linha de produção da fábrica ou empacotador do armazém. Mas se você estiver familiarizado com o setor, saberá que esse não é o caso.

Eles podem estar trabalhando rápido, mas esse trabalho requer um alto grau de habilidade.

Dependendo da espécie, um peixe típico perderá entre 10-25% de seu peso bruto depois de ter sido descabeçado. É uma margem enorme, e se você opera uma planta de processamento de pescado , fará questão de reduzir essa porcentagem o máximo possível.

Nas linhas de produção tradicionais, isso significa uma equipe eficiente e altamente qualificada trabalhando em uma velocidade vertiginosa.


O CORTE PERFEITO

Se você é um pescador casual ou mesmo um chef amador, filetar e descabeçar um peixe grande como o salmão provavelmente não parece tão assustador. No entanto, na realidade, a maior parte da indústria europeia de processamento de peixe depende de pequenos peixes pelágicos como a cavala, a espadilha e o arenque, que apresentam os desafios óbvios associados ao seu pequeno tamanho.


A necessidade de uma reviravolta rápida muitas vezes significa que cortes mal avaliados nesses peixes relativamente pequenos podem facilmente desperdiçar grandes partes do produto acabado, com o "entalhe" manual exigindo habilidade particular em espécies menores:

Nobbing : “Remover a cabeça e o intestino de peixes gordurosos, como o arenque, cortando parcialmente a cabeça e puxando a cabeça, junto com o intestino preso”

Parece complicado, certo? Especialmente se você estiver processando milhares de peixes por dia ...


Nossos canais:

https://www.facebook.com/SetorPesqueiro​

https://twitter.com/ac2video​

https://www.instagram.com/setorpesqueiroenautico_ac2

AC2 Produção, Comunicação & Marketing